O que levar em consideração na hora da escolha da escola na região de Vancouver ?

Quem muda para um país novo com filhos pensa sempre em maneiras para que eles não sofram muito com a mudança, tenta se cercar de cuidados, e a escolha da escola é uma dessas preocupações. Vão perder o ano escolar? Vão conseguir acompanhar a matéria ? Vão fazer amigos ?
É claro que eu também tive essa preocupação, mas depois de ler e conversar muito e, principalmente, depois de estar aqui no Canadá ha quase 3 anos, posso te garantir: é mais fácil do que parece !

Vamos por partes.. não posso falar muito de como escolher um daycare, pois minha filha chegou aqui com 8 anos. Os daycares são para crianças antes de idade escolar, ou seja, de quando você precisar/quiser colocar até setembro do ano em que ela completa 5 anos, já que é quando elas começam na escola pública. Vejo muitas mães que optam por não trabalhar nesse tempo, já que os daycares não são baratos, então é uma escolha pessoal mesmo. O que não falta é opção para as crianças interagirem com outras crianças, como as atividades do Community Center, das bibliotecas e ate na escola pública, no programa chamado Strong Start. É um espaço em que qualquer criança abaixo da idade escolar pode participar, mas precisa estar sempre acompanhada de um responsável. Eles brincam na escola do bairro, a sala é cheia de atividades para estimular e interagir. Procure pelo programa na escola mais perto de você e consulte as regras de cada uma, pois nas mais procuradas existe um limite de dias na semana que cada família pode participar, visando a não lotação do espaço.

E quanto ao daycare, certifique-se que ele é licencidado pelo governo. Busque na internet referências de outras famílias, mas fique sabendo que a busca por uma vaga não é fácil e tem gente colocando nome em lista de espera antes da criança nascer ! rs A oferta de vagas para nenéns e crianças que ainda usam fraldas é bem menor que a procura. Pros desfraldados é um pouco mais fácil.

 

Agora vamos falar sobre as escolas ?

Chegamos no Canadá quando a Gi tinha 8 anos, idade dela estudar em uma Elementary School, que vai do Kindergarten (5 anos) até o Grade 7 (12 anos) na cidade em que moramos, Burnaby. Qual o motivo de frisar isso? Aqui cada cidade tem uma independência enorme no quesito educação e cidades vizinhas, que mais parecem bairros, são completamente diferentes.
Para exemplificar: A cidade de Burnaby tem música no currículo, outras cidades vizinhas não tem. Em Vancouver e em Burnaby são duas escolas, a Elementary e a Secondary, enquanto em New Westminster e Port Coquitlam tem a Elementary, a Middle e a Secondary School.

Além disso, cada escola e cada professor também tem muita autonomia de como vai conduzir a turma, o que faz com que as experiências de cada um sejam muito diferentes das experiências dos outros, ja que não existe um padrão tão engessado como no Brasil.
Existe um rankingdas escolas e vejo muita gente que está se preparando para vir se baseando nele para escolher onde morar e o que posso dizer é que ele é um ranking MUITO controverso até entre os educadores. Não entendeu ? Imagine que uma escola tem muitos alunos que não dominam a língua inglesa e participarão da prova…. eles não irão bem e consequentemente a nota da escola será baixa. Isso quer dizer que a escola é ruim ? Não. É preciso entender a realidade daquela escola. Também ja soube de escolas que pedem para que os alunos não fluentes não participem das provas. Além disso, existe a figura do diretor. Esse sim pode fazer diferença em uma escola e eles costumam mudar de escola a cada 5 ou 6 anos, fazendo com que escolas passem por momentos bons ou ruins se aquele diretor não se adaptar a realidade local, ou a escola não se adaptar a ele, como quiserem.

Dito isso, o que eu considero mais importante na escolha de uma Elementary School ? Acessibilidade !
Como assim ? Boa parte dos brasileiros que tem vindo para o Canadá é para estudar, um dos dois do casal fazendo faculdade enquanto o outro trabalha. Então é muito mais lógico e útil tentar se adequar ao local de estudo que ja esta definido, e tentar ter tudo por perto, a moradia e a escola das crianças, já que a escola é definida pelo seu endereço. De que adianta ir morar do outro lado da cidade (ou em outra cidade) da sua faculdade só por causa da escola tal que tem nota boa, e perder um tempo enorme de deslocamento todos os dias ? Vocês sabem que aqui não temos empregada né? Nem pai e mãe para ligar e pedir socorro. Os amigos? Igualmente atarefados em suas rotinas.. então, tente otimizar seu dia ao máximo e diminuir seu tempo de deslocamento.

 

 

Outro fator que tem que ser levado em consideração é a sua realidade financeira. Ninguém vem pra cá nadando em dólar, ainda mais com a cotação atual, e isso acaba restringindo ainda mais as opções. Se trouxer seu animal de estimação do Brasil então …. começe logo a fazer promessa, que a busca é mais difícil ainda.
Encaixar esses três pilares (local de estudo, acessibilidade e orçamento) já é um malabarismo e tanto para quem acaba de chegar. Acredite, eles são a chave de um início de vida candense menos estressante e traumática.

Ainda está com medo da escola que atende seu catchment area ser ruim ? Ruim em relação a quê ? Elas recebem o mesmo investimento do governo e estão adaptadas a realidade daquela comunidade. Tire da sua cabeça as exigências que fazíamos nas escolas particulares no Brasil (já que sabemos bem a realidade da escola pública por lá), das mil provas e preparações para o vestibular. Isso aqui não existe, pelo menos não na Elementary School.

O que eu vejo que faz realmente uma escola ser “melhor” que a outra? A participação dos pais! Sim, em toda escola existe o PAC (Parents Advisory Council) e a função nada mais é do que ajudar a escola a fazer atividades e melhorias que não cabem na verba do governo. Para isso são promovidas atividades e vendas durante o ano letivo, com uma prestação de contas super clara e transparente, e os valores arrecadados ajudam a pagar vários passeios das turmas, fazer melhorias tecnológicas… proporcionar experiências que talvez não fossem possíveis só com a verba do governo. Ai vai depender da necessidade específica de cada escola, mas isso sim na minha opinião faz a escola ser diferente.

 

CONFIRA O QUE AS OUTRAS MÃES NO CANADÁ TEM A FALAR SOBRE O ASSUNTO

 

Adriane Jungues (Ottawa/Ontario) Like a New Home 
Alessandra Cayley (Toronto/Ontario) Alicia e Outros Papos
Alessandra Schneider (Bathurst/New Brunswick) Canadiando
Amanda Aron (Winnipeg/Manitoba) Viva Manitoba 
Beatriz Ortiz (Vancouver/British Columbia) Biba Cria 
Carol Almeida (Mississauga/Ontario) Minha Neve e Cia 
Carol Camanho (Vancouverr/British Columbia) Fala Maluca
Danielle Vidal (Toronto/Ontario) VidalNorte
Gabriela Ghisi (Toronto/Ontario) Gaby no Canada
Livi Souza (Toronto/Ontario) Baianos no Polo Norte 
Mariana Baltar (Calgary/Alberta) De bem com a vida no Canadá
Vanessa Adell (Calgary/Alberta) Partiu Canada

About the Author:

Renata Luppi: Mãe, esposa, filha, irmã mais velha, inquieta, curiosa, viciada em chocolate e coca-cola e, acima de tudo, cheia de manias !!!

One Comment

  1. Gabriela Ghisi 21/09/2018 at 5:25 AM - Reply

    Uau, eu não sabia desta questão de fluencia e notas das escolas… faz TODO o sentido. Bom saber.
    Adorei seu texto!
    Beijos

Leave A Comment

Captcha loading...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.