Mundo Giovanna: Conhecendo o Museu Nacional – Quinta da Boa Vista

Para o nosso segundo episódio escolhemos o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro.
Tivemos a participação especial de vários amigos, principalmente da Sophia, do David, do pai e da mãe deles, que é professora no Museu, e do Lucas e seus pais.

HISTÓRIA DO LOCAL:

– A área onde hoje se localiza a Quinta da Boa Vista foi propriedade dos jesuítas entre 1567 e 1749, ano em que a ordem foi expulsa do Brasil.
– Após a saída dos jesuítas, as terras passaram por diversos proprietários e em 1803 foram adquiridas pelo comerciante português Elias Antônio Lopes, que ali construiu sua casa de campo, ficando conhecida como “Quinta do Elias”.
– Em 1808, Elias Lopes doou a Quinta da Boa Vista ao Príncipe Regente Dom João, como boas-vindas à Corte recém-chegada de Lisboa, recebendo então o nome de Quinta da Boa Vista.
– Pouco a pouco a propriedade foi sendo ampliada, com a aquisição de terras vizinhas. Os jardins, e a sede, passaram por sucessivas reformas para se adequarem às novas funções e adquirirem maior nobreza.
– As obras foram concluídas em 1816, e a Família Real mudou-se do Paço da Praça XV, para o Paço de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista, transformado em residência oficial da Corte.
– D. Pedro I ordenou a criação de córregos e lagos e plantou centenas de árvores. Ele também criou um pomar, introduzindo mudas de espécies frutíferas como a mangueira, e iniciou a implantação do Horto Botânico.
– Em 1860, D. Pedro II delegou ao paisagista francês Glaziou a tarefa de realizar a grande reforma dos jardins. A obra foi concluída em 1876 e moldou as características paisagísticas da Quinta, que até hoje permanecem.
– Glaziou abriu a Alameda das Sapucaias, ligando diretamente o portão de acesso ao palácio, criou os jardins entremeados por caminhos sinuosos, construiu os lagos, com suas grutas e cascatas artificiais, pontes e elevações.
– Com a queda da monarquia, o Paço e a área do Parque foram incorporados ao patrimônio da União, sofrendo um período de abandono. No Paço, os aposentos internos do palácio foram descaracterizados e a maior parte do mobiliário leiloado.
– Em 1892, o Museu Nacional foi transferido para o palácio, o que permitiu que o prédio recebesse melhor conservação. Os jardins não tiveram a mesma sorte e acabaram se deteriorando por falta de trato.
– Na virada do século foram executadas obras viárias e ferroviárias nas vizinhanças, além da construção de estabelecimentos militares, que ocasionaram a derrubada de parte dos bosques e redução da área original.
– Em 1909, na gestão do Presidente Nilo Peçanha, os jardins da Quinta da Boa Vista foram restaurados e cercados, preservando suas características que lhe foram dadas por Glaziou, como a Alameda das Sapucaias, o grande lado dos pedalinhos e o lago da gruta artificial.
– Somente em 1910, foram realizadas as primeiras obras republicanas de recuperação do Parque.
– No ano de 1938 o prédio foi tombado pela antiga Secretaria de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, atual IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.
– Em 1945, a Quinta da Boa Vista passou a abrigar também o novo Jardim Zoológico da cidade do Rio de janeiro, o que fez aumentar o fluxo de visitantes ao Parque.

HISTÓRIA DO MUSEU:

– O Museu é a mais antiga instituição científica do Brasil e o maior museu de história natural e antropológica da América Latina.
– Foi criado por D. João VI, em 06 de junho de 1818, e chamado de Museu Real.
– Inicialmente sediado no Campo de Sant’Anna, serviu para atender aos interesses de promoção do progresso cultural e econômico no país.
– No ano de 1822, com a Declaração de Independência do Brasil, passa a se chamar Museu Nacional e Imperial.
– Com a República, em 1889, recebe o nome de Museu Nacional.
– Em 1892 o Museu passou para o Paço de São Cristóvão, onde está até hoje. Com a mudança de sede, várias coleções foram perdidas.
– Foi incorporado à Universidade do Brasil em 1937, transformada em Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1965.
– O Museu é uma instituição voltada ao ensino, e oferece cursos de pós-graduação stricto e lato sensu.

ACERVO:

– O Museu Nacional é o museu que tem sob sua guarda o maior número de bens culturais do país.
– São cerca de 20.000 peças, sendo que apenas parte, cerca de 3.000 objetos, encontram-se expostos.
– O acervo é dedicado aos estudos dos Departamentos de Antropologia, Botânica, Entomologia, Geologia e Paleontologia, Invertebrados e Vertebrados.
– Em exibição estão meteoritos, múmias, sarcófagos, esqueletos de dinossauros e um grande acervo de objetos da cidade italiana de Pompéia… a criançada pira, e os adultos também, claro !
– A Biblioteca do Museu Nacional é voltada para o apoio das atividades de ensino, pesquisa e extensão do Museu e integra o Sistema de Bibliotecas e Informação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (SiBi), composto por 44 bibliotecas e 3 arquivos documentais. Em seu acervo estão cerca de 474.000 volumes, entre livros, periódicos e outras publicações.

– Exposição Arte com dinossauros:
A exposição temporária foi aberta ao público em 16 de abril de 2015 e vai até 19 de julho de 2015.
Foram convidados ilustradores e escultores que, com seus talentos, passaram a ajudar os paleontólogos a entender como era a possível aparência da vida em nosso planeta há milhões de anos. Assim foi criada a Arte Paleontológica ou Paleoarte.
Na exposição o público terá a oportunidade de ver um pouco desse trabalho, através das obras do paleoartista brasileiro Maurilio Oliveira que, em junho de 1999, no Setor de Paleovertebrados do Museu Nacional/UFRJ, de forma pioneira iniciou a Paleoarte no Brasil. O aritsta também estará presente produzindo ilustrações e conversando com o público.

MUSEU NACIONAL – UFRJ
Quinta da Boa Vista – São Cristóvão – Rio de Janeiro
Telefone: (21) 2254-4320
Ingresso: R$ 6,00 inteira e R$ 3,00 a meia entrada
Gratuidade: Crianças até 5 anos e portadores de necessidades especiais
Estacionamento: Pago à parte na Quinta da Boa Vista
Horário de Funcionamento: Segundas-feiras: das 12h às 17h e de terça a domingo: das 10h às 17h

By | 2015-05-06T14:01:31+00:00 maio 6th, 2015|Categories: Mundo Giovanna, Rio de Janeiro - capital|2 Comments

About the Author:

Renata Luppi: Mãe, esposa, filha, irmã mais velha, inquieta, curiosa, viciada em chocolate e coca-cola e, acima de tudo, cheia de manias !!!

2 Comments

  1. Renata 14/05/2015 at 11:29 AM - Reply

    Oi,

    Fiz um comentário em um post antigo de vocês, pedindo uma ajuda…rsrsrs

    http://www.malainquieta.com.br/onde-encontrar-acessorios-para-moto-em-orlando/#comment-2509

    Já agradeço demais se puder ajudar!!

    =)

    • Renata Luppi 15/05/2015 at 10:28 AM - Reply

      Oi Renata,
      vou te responder lá ! 😉

Leave A Comment

Captcha loading...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/malainquieta/www/wp-includes/functions.php on line 3743

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/malainquieta/www/wp-includes/functions.php on line 3743