Minha Cidade do Coração: Barbados, por Ana Luiza Ogg Strauss

Hoje na série Minha Cidade do Coração, temos a Ana Luiza Ogg Strauss dando suas dicas e contando qual cidade tem um lugar especial no seu coração.

1) Nome, idade e onde mora:
Ana Luiza Ogg Strauss – 41 anos – moro em Curitiba

2) Qual seu lugar no mundo ?
Começamos com uma pergunta que é muito complexa, hehehe… Existem várias cidades no mundo que moram no meu coração. Duas delas muito queridas para mim, são Curitiba – a cidade onde nasci e Brisbane na Austrália – cidade onde morei por dois anos.

Mas se existe um lugar onde eu poderia me mudar tranquilamente, hoje mesmo, ele é Barbados! Barbados é uma ilha no Caribe, daquelas que a gente sonha, sinônimo de paraíso. Areia branquinha, mar azul turquesa e aquela brisa deliciosa.

Os Portugueses que chegaram lá batizaram a ilha por causa das suas árvores cheias de cipós. Mas foram os exploradores britânicos que fizeram da ilha sua colônia, por isso o idioma oficial do país é o inglês.

3) Quando você esteve lá ? Quantas vezes ?
Estivemos lá apenas uma vez, em Maio de 2016, e isso foi suficiente para que todos os “Ases” se apaixonassem por essa ilha. Barbados é um lugar que apesar de ser turístico, não deixou de lado sua cultura e tradição Bajan. Saindo dos resorts você encontra um povo muito alegre, amigável e acolhedor, orgulhoso de ser Barbadiano.

4) Como é o transporte público ?
Confesso que não usamos o transporte público durante a nossa estadia lá. Iríamos alugar um carro, mas como faziam muitos anos que não dirigíamos na mão inglesa, resolvemos usar taxis para os translados e a empresa que contratamos para fazer alguns passeios, a SunTours, nos levou de van até as atrações.

5) E o clima ? O que você achou ?
Ahhh, o clima é maravilhoso, principalmente para os amantes do verão eterno como nós! Durante o mês de Maio, estava calor, mas não aquele calor de matar. A brisa do mar refresca, mas não é aquele vendaval que levanta areia que entra no olho. É só um ventinho de leve, que faz você nem sentir que está torrando.

Por isso, nem preciso falar da necessidade de repassar sempre o filtro solar, principalmente nas crianças branquelas como as minhas. Não tivemos nenhum dia de chuva. Fomos presenteados com um céu azul de brigadeiro em todos os dias.

6) O que achou dos preços em geral?
No momento atual, 1 dólar de Barbados equivale a 0,50 USD ou R$ 1,60. O dólar americano é aceito na ilha toda e a maior parte das lojas e restaurantes aceitam cartões de crédito.

Os preços são similares aos das capitais mais caras do Brasil, Rio de Janeiro e São Paulo. Como moramos em Curitiba, os preços estavam um pouco mais caros do que costumamos pagar por aqui.

Uma garrafa de Coca-cola de 2 litros, por exemplo, custa Bds$ 5.82, o equivalente a R$ 9,31. Chefette é a maior rede de fast-food lá, ou seja, o McDonalds local. Um combo com sanduíche, batata e refri custa por volta de Bds$ 15, o que equivale a R$ 24.

7) Indica algum restaurante por lá?
Como nos hospedamos em hotéis que ofereciam os planos de refeição incluídos na hospedagem, acabamos não experimentando muitos restaurantes fora. Mas nosso conselho é: não vá embora sem experimentar o “flying fish” ou, peixe voador, o prato típico da culinária Bajan. A gastronomia da ilha é muito rica e engloba elementos da cozinha africana e da cozinha europeia, além dos frutos do mar e vegetais tropicais da ilha. O rum punch, feito com rum, nóz-moscada e suco de limão, também é bebida “obrigatória” para quem conhecer as delícias locais.

8) Um passeio imperdível:
Barbados é uma ilha completa porque além das praias lindas, tem muitos passeios bacanas. Lá visitamos a primeira destilaria de rum do mundo Mount Gay, vimos macaquinhos e jabutis no Wildlife Reserve, aprendemos sobre as formações de estalactites na Harrison’s Cave e ainda andamos de submarino pela primeira vez com o Atlantis Submarine.

Neste vídeo, falamos de vários deles, inclusive as crianças contam do que mais gostaram.

Mas se for para eleger um só, com certeza nadar com as tartarugas no mar aberto foi inesquecível! Veja bem, somos uma família amante de praia e fazer qualquer atividade aquática é algo que nos deixa muito felizes. E ficar cara a cara com tartarugas enormes, inclusive encostar no seu casco, naquela mar transparente com temperatura super agradável, foi uma experiência incrível. Ainda vimos muitas espécies de peixinhos coloridos e fizemos snorkel sobre os navios naufragados em Carlisle Bay.

9) Dica de hospedagem:
Nos hospedamos no lado oeste e sul da ilha, banhados pelas águas calmas do mar caribenho, ótimas para banho de sol, mergulho e passeios em embarcações. Durante a nossa viagem nos hospedamos em dois hotéis diferentes para ficar em mais de uma praia.

O primeiro foi o Tamarind da rede Elegant, mais ao centro da ilha. Um hotel maravilhoso com quartos aconchegantes, restaurantes deliciosos e atividades de recreação muito legais para as crianças. Uma das grandes vantagens deste hotel é que as atividades aquáticas motorizadas, ou não, estão incluídas na hospedagem. Assim fizemos passeios de hobbycat, banana boat, stand-up paddle e ainda pudemos conhecer os outros hotéis da rede pegando um watertaxi, tudo sem pagar nada extra.

O segundo hotel que nos hospedamos foi o Divi Southwinds da rede Divi Resorts, mais ao sul da ilha. Este hotel, um pouco menos luxuoso que o primeiro, mas muito gostoso. Abriga um restaurante delicioso em frente a praia, o Pure Ocean, para aquele jantar inesquecível. A vantagem deste hotel foi ter uma cozinha completa dentro do quarto, o que facilita para as família com crianças. O Divi fica bem localizado, pertinho do St. Lawrence Gap, ou apenas The Gap, uma rua com bares e restaurantes bem gostosa para caminhar.

10) O que faria diferente em uma próxima visita?
Em uma próxima vez com certeza eu alugaria um carro para explorar mais a ilha ao nosso ritmo. Subiria até o moinho Morgan Hills, para ver a maravilhosa paisagem da ilha de cima. Também faria um tour pela costa leste, do oceano Atlantico.

Agora o passeio que não deu para fazer e me arrependo até hoje foi a visita ao Museu do Concorde, o jato supersônico da British Airways que trazia os ingleses ricaços para a ilha. Com certeza iria carimbar meu cartão de embarque nesse passeio. O Alex teria amado conhecer esse avião icônico. O bom é que temos muitos motivos para voltar!

11) Encontrou brasileiros por lá?
Nosso voo foi direto do Brasil e a aeronave estava cheia de Brazucas. Mas saindo do aeroporto, não encontramos muitos brasileiros por lá. Apenas dois que estavam na visita a destilaria de rum. Britânicos, americanos e canadenses foram as nacionalidades que mais encontramos turistando pela ilha.

12) Dicas para ajudar no planejamento de quem quer visitar?
Uma grande vantagem de Barbados, no quesito planejamento, é que brasileiros não precisam de visto para entrar no país, apenas o passaporte com validade mínima 6 meses de validade. Porém, é necessário tomar a vacina da febre amarela antes de embarcar. Recomendo tomar com pelo menos um mês de antecedência da viagem, caso você tenha alguma reação alérgica.

Programe dias para fazer os passeios, mas intercale com dias de descanso no hotel, principalmente se você tem crianças. O ideal, nos dias de passeio é um pela manhã e outro a tarde, para não ficar muito corrido. Planeje ficar na ilha pelo menos uma semana para aproveitar tudo que ela oferece.

Barbados tem uma infinidade de hotéis e resorts, vários all inclusive. Mas não caia na tentação de ficar só praia. Esta ilha é muito rica para não conhecer o que ela oferece além dos muros dos resorts.

Planeje sua viagem para Barbados através do site oficial Visit Barbados, em português. E não deixe de conferir o nosso post sobre Barbados lá no site do Ases a Bordo.

Onde encontrar mais dicas de viagens da Ana ?

Ela escreve o Ases a Bordo e também tem Fanpage no Facebook e Perfil no Instagram.

Ela também tem o canal no Youtube, com vários vídeos recheados de paisagens lindas e dicas incríveis.

Mais dicas de Barbados? Tem lá no Ases a Bordo também !

 

By | 2017-07-22T22:44:14+00:00 julho 19th, 2017|Categories: Barbados, Caribe, Minha Cidade do Coração|0 Comments

About the Author:

Renata Luppi: Mãe, esposa, filha, irmã mais velha, inquieta, curiosa, viciada em chocolate e coca-cola e, acima de tudo, cheia de manias !!!

Leave A Comment

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.