Brincadeira de criança no Canadá

Esse é nosso primeiro post como parte do Projeto Mães no Canadá. A idéia é falar um pouco sobre a maternidade e a tarefa de educar em terras canadenses, com todos os perrengues de quem está longe da família, da sua língua, da sua cultura…

São 13 mães (os links estão lá no final do post) de diferentes lugares do Brasil e que moram por todo o Canadá, o que faz com que tenhamos visões e vivências para compartilhar sobre um mesmo assunto. Falando em assunto, todo dia 20 (pois é, esse mês o post esta atrasado por motivos técnicos/tecnoógicos 🙁 ) tem post  de cada uma sobre um mesmo assunto, e o do mês de junho é: Brincadeira de criança no Canadá

Pode parecer bobo, mas será que as crianças brincam da mesma forma por todo o Canadá? E comparando com o Brasil , será que tem diferença?

Quando chegamos no Canadá, em 2015, uma coisa que de cara nos chamou atenção foi o número de parques e praças e de parquinhos para as crianças, e é claro, o número de crianças brincando.
Posso falar do Rio de Janeiro, onde nasci e fui criada, e espaços públicos estão cada vez menos frequentados e, aliado a falta de conservação dos brinquedos, não os torna um passeio atrativo para as famílias. Parques pagos dentro de shoppings (que muitas vezes tem idade mínima e máxima) e casas de festas acabam sendo o que as crianças tem como referência.

 

Parquinho virou sinônimo de “coisa de criança”. Mas, espera ai: minha filha só tinha 8 anos quando saiu do Brasil e não sei dizer qual foi a última vez que a vi num brinquedo do tipo, sendo a criança que ela era. Obviamente essa pouca familiaridade dela com a brincadeira ficou bem evidente no início, ainda mais pelo fato dos parques aqui da região de Vancouver incentivarem o equilíbrio, a coordenação motora junto com a brincadeira. Demorou um pouco, mas logo ela estava mais a vontade e misturada com as outras crianças, sendo crianças.

Isso de ser criança também tem uma característica bem diferente aqui: as crianças não são adultizadas precocemente como é visto no Brasil. Usam roupas de criança, fazem programas de criança, ouvem música de criança. E quando eu digo roupa de criança, é roupa colorida, de estampas, calça com saia de tutu, joelhos russos de brincar. Tendo esse cenrário, do que elas gostam de brincar ?

Correr acho que é uma das atividades preferidas , e inclui os piques (pique pega, pique altos, pique esconde, etc), futebol, etc. Na escola da Gi por exemplo, são 4 parquinhos diferentes, para espalhar as crianças, sendo 1 exclusivo para os menores, de 5/6 anos. O resto é livre, e estão sempre cheios.

No verão acaba que as brincadeiras ao ar livre são quase que uma obrigação: parquinhos, parques de água, brincadeira de bola, amarelinha, bicicleta, patinete, skate … coisas desse tipo.

Já no inverno … existem algumas opcões de parques fechados, já que estamos em Raincouver ou Vanchuva, como preferir, museus interativos como o Science World, parques inteiros de pula-pula (ou trampolim como chamamos aqui), e muita cristividade para entreter as crianças dentro de casa. Muitos desse lugares tem passes anuais, e costumam valer a pena. Se nevar é mais fácil, já que é só empacotar as crianças e deixar elas rolarem na neve, fazerem bonecos de bunca, escorregarem na ladeira e jogar bolinha nos amigos. Além de patinação no gelo e hoquei no gelo.

E quanto aos eletrônicos ? Claro que a maioria das crianças gosta, mas tem muito mais regras e restriçãoes do que eu via no Brasil, onde as crianças desde cedo tem seu próprio tablet, celular, video game. Nós demos um celular para a Gi quando chegamos, para ela ter contato com os amigos e familares que estão no Brasil, e os amigos sempre recebem essa informação com surpresa, pois a maioria usa o dos pais e por um tempo diário bem limitado. Em contra partida, a leitura é muito incentivada, os espaços infantis nas bibliotecas são grandes e atrativos e durante o verão tem clube de leitura com entrega de medalhas no final para quem cumprir a meta diária proposta para as férias. E acreditem, fica cheio !

Com certeza é muita diferença pro Brasil, mas o mais importante é que as crianças, na grande maioria, se adaptam super fácil !

 

CONFIRA O QUE AS OUTRAS MÃES NO CANADÁ TEM A FALAR SOBRE O ASSUNTO

 

Adriane Jungues (Ottawa/Ontario) Like a New Home 
Alessandra Cayley (Toronto/Ontario) Alicia e Outros Papos
Alessandra Schneider (Bathurst/New Brunswick) Canadiando
Amanda Aron (Winnipeg/Manitoba) Viva Manitoba 
Beatriz Ortiz (Vancouver/British Columbia) Biba Cria 
Carol Almeida (Mississauga/Ontario) Minha Neve e Cia 
Carol Camanho (Vancouverr/British Columbia) Fala Maluca
Danielle Vidal (Toronto/Ontario) VidalNorte
Gabriela Ghisi (Toronto/Ontario) Gaby no Canada
Livi Souza (Toronto/Ontario) Baianos no Polo Norte 
Mariana Baltar (Calgary/Alberta) De bem com a vida no Canadá
Vanessa Adell (Calgary/Alberta) Partiu Canada

By | 2018-06-22T14:21:00+00:00 junho 22nd, 2018|Categories: Canadá, Mães no Canadá, Vida no Canadá|0 Comments

About the Author:

Renata Luppi: Mãe, esposa, filha, irmã mais velha, inquieta, curiosa, viciada em chocolate e coca-cola e, acima de tudo, cheia de manias !!!

Leave A Comment

Captcha loading...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/malainquieta/www/wp-includes/functions.php on line 3743

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/malainquieta/www/wp-includes/functions.php on line 3743