1 ano em Vancouver : 15 coisas que a cidade me ensinou

01 de dezembro de 2016. Há exatamente 01 ano, eu, marido e filhota, desembarcávamos em Vancouver pela primeira vez e fomos inundados por uma avalanche… de novidades, de frio, de curiosidade, de aprendizado e adaptação.

Aqui eu relato, de forma resumida, as 15 coisas que mais nos surpreendeu em Vancouver. Se bem que essa lista poderia ser bem mais extensa.

Mas eu poderia dizer que isso vale para outras cidades ou para o Canadá todo ? De maneira alguma ! Assim como o Brasil, o Canadá é um país enorme e cheio de diferenças que chega a parecer que são países diferentes dentro de um mesmo país.

E quando eu digo Vancouver estou me referindo à Grande Vancouver, ou MetroVancouver, que engloba outros 23 municípios, como North Vancouver, Burnaby , Coquitlam e Richmond.

Então…o que Vancouver me ensinou ? Que…

1 – … não é vergonha reciclar.

Aqui em Vancouver isso é parte da cultura deles, e no Brasil quem se preocupa com isso vive ouvindo piadinhas e deboche. Infelizmente. Quem nos acompanha no Snapchat já nos viu levando “lixo” nos postos de reciclagem e obtendo de volta parte da “taxa de reciclagem” que pagamos ao comprar determinados produtos.

2 – … que não devemos usar sapatos dentro de casa.

Um hábito SUPER higiênico, mas talvez se explique pelo acesso que o brasileiro tem as empregadas domésticas. Como aqui é cada um por si, tem que evitar sujar ao máximo. Perto da porta das casas (e apartamentos) há sempre um armário ou sapateira para organizar os calçados. Em alguns lugares a neve que gruda nos sapatos também influencia e logo na entrada das casas há um local adequado para deixa-los , evitando que molhe a casa quando o gelo derreter.

3 – … é possível, e importante, ser pontual.

Não, aqui os atrasos não são tolerados e desculpas como trânsito não colam. Muitos canadenses se programam para chegar 5/10 minutos antes de seus compromissos. Esse é um assunto que eles levam MUITO a sério.

4 – … o pedestre tem prioridade.

Respeito ao pedestre. Sim, isso pode acontecer ! Enquanto no Brasil nós precisamos ter cuidado com os carros até nas calçadas (já que muitos motoristas acham que a calçada também é deles), aqui em muitos cruzamentos nem sinal existe. É dever do carro reduzir a velocidade e dar prioridade ao pedestre, mesmo que essa prioridade não esteja explícita nas regras de trânsito. Isso faz parte dos hábitos da cidade.

5 – … o respeito as regras em geral é possível.

É muito comum ver as regras sendo respeitadas. Tem quem não faça? claro !
É possível entrando no transporte público sem pagar, bebendo cerveja em locais proibidos (uns tentando disfarçar e outros não), mas são exceções e totalmente contrário a cultura local.

6 – … voluntariado não é coisa de “otário”.

Pelo contrário. Aqui é muito bem visto e também é parte da cultura deles. A noção de comunidade fez a população se unir em prol de objetivos, e é muito comum a ajuda nas escolas dos filhos(Doação em dinheiro!!!), na conservação do espaço urbano, ou em vários outros tipos de instituições ou eventos.

7 – … obras podem ser feitas para beneficiar a população.

Aqui é muito comum vermos consultas à população sobre a necessidade de uma obra ou sobre detalhes da mesma, mas também vemos resultados positivos em grande parte das obras executadas.

8 – … o transporte público pode sim ser eficiente ou bem mais eficiente do que temos no Brasil.

Eles tem horário certo para passar, que são mostrados em aplicativos, em tabelas nos pontos ou através de SMS.

9 – … a acessibilidade é uma realidade.

Elevadores nas estações de metrô, rampas em todos os cruzamentos, banheiros acessíveis até na pracinha da esquina, balanços adaptados para crianças especiais, rampas que funcionam nos ônibus. Isso é apenas um exemplo do que vemos por aqui diariamente. Todos os meios de transportes são super adaptados, e mais que isso, vemos uma população, começando pelos motoristas, que entendem e respeitam isso, ninguém de cara feia ou com pressa. Todos tem fácil acesso ao transporte e espaço dentro deles. Ah, e as bicicletas também tem seu espaço.

10 – … a primavera e outono são mais incríveis pessoalmente, com cores inimagináveis.

Ah, a primavera canadense.. conforme o inverno foi indo embora e a primavera chegando, a natureza revelava verdes que eu nem sabia que poderiam existir. É algo de tirar o fôlego e te fazer parar para apreciar. E no outono então ?! Surra de fotos !

11- … marmita não é “coisa de pobre”.

A grande maioria dos trabalhadores e estudantes sai de casa com a sua sacolinha da marmita e inclusive levam para comer nas praças de alimentação, seja com um colega de trabalho que foi comprar o almoço ou até mesmo uma mesa só de marmitas. Agora no verão também tem muita gente pelos bancos das praças aproveitando para fazer a fotossíntese enquanto almoça… rs

12- … perdemos muito tempo julgando os outros.

Aqui ninguém presta atenção no outro, no sentido de que vc pode sair de casa de pijama, usar um sapato de cada cor, fantasiado ou com a roupa furada. Cabelos de todas as cores possíveis então..normal para todas as idades. Andar com as compras na mão é de longe um hábito que o brasileiro não tem, talvez pelo medo de sermos julgados pelas nossas escolhas, pela marca de sabão em pó que compramos ou por estarmos levando papel higiênico para casa. Nós escondemos tanto que parece que ninguém vai ao banheiro. Aqui não, vemos muita gente saindo com as compras nas mãos (uma coisa ou duas, claro), pacotes de 40 rolos de papel higiênico de baixo dos braços…

13 – … devo levar as minhas sacolas reutilizáveis quando for ao mercado/farmácia.

o uso de sacolas plásticas aqui é muito combatido. Muitas opções de sacolas reutilizáveis em todos os mercados e muitas lojas e na maioria dos supermercados você paga uns centavos se usar a sacola de plástico normal.
Lembro-me de quando fui comprar um copo térmico no Starbucks falei com atendente que não precisava de sacola, já que eu estava de mochila e estava chovendo, e ela abriu um super sorriso me agradecendo por cuidar da natureza. Não é feio, não é careta. É a cultura deles.

14 – … ela é uma cidade cosmopolita/multicultural.

Cristãos, muçulmanos, judeus, ateus… os sikhs com seus turbantes e  as mulheres muçulmanas com suas diferentes regras para cobrir seus corpos são apenas alguns exemplos das diferenças que convivem rotineiramente. Praça de alimentação então, é uma verdadeira volta ao mundo !

15 – … morar fora, definitivamente não é para qualquer um. Não, não me acho melhor que ninguém, mas você tem que estar muito bem preparado para ficar longe de sua família e seus amigos, principalmente nas datas comemorativas. Não é nada fácil meus amigos… nada fácil…

By | 2017-08-01T14:44:24+00:00 dezembro 1st, 2016|Categories: Canadá, Dicas Gerais, Região de Vancouver|10 Comments

About the Author:

Renata Luppi: Mãe, esposa, filha, irmã mais velha, inquieta, curiosa, viciada em chocolate e coca-cola e, acima de tudo, cheia de manias !!!

10 Comments

  1. Graciella Silvia Donadia 10/01/2017 at 10:21 AM - Reply

    Bom dia, Renata.
    Tudo bem?
    Adorei seu post. Estou indo morar em Vancouver por 1 ano a partir de abril de 2017.
    Gostaria de dicas para arrumar a mala.Quais as dicas você dá, o que levar, o que não levar.Qual tipo de roupa, calçado?
    Obrigada pela atenção.

    • Renata Luppi 10/01/2017 at 5:43 PM - Reply

      Oi Graciella !Tudo bem, e você?
      Olha, você vai chegar na primavera, só falta saber se o verão dessa vez será quente mesmo …rs
      Olha, eu traria sapatilha e sandália rasteira, caso você use. E havaianas.
      Blusinhas estampadas e vestidinhos de verão não são tão bonitos quanto os nossos, mas difícil saber sem conhecer seu estilo. Mas olha, tem Forever 21 e H&M e outras lojas locais que te agradarão.
      Quanto ao frio, não sei de onde você é, mas o que temos no Brasil não aguenta o inverno daqui… rs… se tiver, traz moleton para primavera e outono, que sempre dá uma esfriada no fim do dia, tênis só se já tiver, ou compre aqui. O mesmo serve para bota de frio, luvas, gorro, casaco.. compre aqui !rs
      Ajudei ou dificultei ? kkkk
      Beijos

  2. Nina 03/01/2017 at 1:52 PM - Reply

    Engraçado que a impressão que eu tenho é que ver o que está acontecendo no Brasil de fora, daria alívio por estar longe. Mas pensar na família e nas suas raízes aqui deve realmente entristecer muito. Adorei seu post. Acho Vancouver linda, apesar de nunca ter visitado. Chegarei um dia aí, to preparando minha imigração. Obrigada pelas lindas dicas da região. A cultura Canadense, msm que tão diferente de uma provincia para a outra, me encanta demais.

    • Renata Luppi 09/01/2017 at 6:42 PM - Reply

      Oi Nina,
      realmente, é um misto de alegria e tristeza.
      Prepare-se bem e aproveite sim. Qualquer dúvida, é só perguntar !
      Beijão

  3. Larissa Castro 04/12/2016 at 11:04 PM - Reply

    Rê, acho que quando saímos da nossa zona de conforto nos damos conta do quanto deixamos passar algumas coisas simples quando estamos na nossa cidade. Como vc falou, as pessoas reciclam, levam marmita, respeitam os pedestres… pq muita gente ainda tem vergonha de fazer isso no Brasil?? Viajar abre a mente e passamos a enxergar além de um palmo das nossas mãos e que o mundo não é só o que achamos que é! Muito bom, né? Boa sorte pra vcs e muitoooos anos de Vancouver!!!!Beijossss

    • Renata Luppi 09/01/2017 at 6:46 PM - Reply

      O Brasil e o povo brasileiro ainda precisa mudar muito.. temos muito potencial jogado fora… infelizmente
      Obrigada Lari, e espero vocês aqui ! <3

  4. MARCOS SOARES 03/12/2016 at 8:22 PM - Reply

    Eu não vejo a hora de poder me mudar logo para Vancouver, estou me planejando tem mais ou menos 1 ano e meio, espero que tudo ocorra como o esperado no ano de 2017 e enfim poderei realizar esse sonho. Muito legal o seu texto. Parabéns!

    • Renata Luppi 09/01/2017 at 6:47 PM - Reply

      Que delícia Marcos ! A preparação é tensa mesmo.. e parece sem fim … rs Mas é a base de tudo !
      Boa sorte !

  5. Lucas Schulze da Silva 01/12/2016 at 9:40 AM - Reply

    Muitas diferenças, é uma cultura rica em educação e mutualidade, algumas partes da matéria fazem a gente repensar no que estamos fazendo com o nosso país ou mesmo no nosso país, lindo texto, bem organizado, parabéns!

    • Renata Luppi 01/12/2016 at 4:43 PM - Reply

      Exatamente Lucas, estar de fora nesse momento tão difícil do nosso país acho que é mais difícil ainda, pois vemos que as coisas podem sim ser boas e diferente do que esta acontecendo com o Brasil… 🙁

Leave A Comment

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.